Central de Atendimento 24h: (11) 4063-9653.

Central de Atendimento

ARTIGO: Como escolher uma revista para publicar? (Parte 2)

29 de julho de 2015

Está pensando em publicar um artigo científico, mas não sabe por onde começar? Isso é normal! Publicar um artigo em um periódico científico é muito importante no mundo acadêmico. A seguir, confira como escolher a revista certa!


Atualmente, existem milhares de periódicos científicos pelo mundo, variando desde os mais generalistas que publicam sobre diversos assuntos (como a revista Science, por exemplo) até os mais especializados em determinadas áreas (como o Journal of Animal Ecology, por exemplo).

Para expressar em números a grande quantidade de revistas científicas, por exemplo, na categoria "Ecology" existem 134 revistas listadas no Journal Citation Reports. Diante deste vasto universo bibliográfico, como escolher a revista onde você vai publicar o seu artigo?


Artigo — Como escolher a revista?

Para auxiliar na escolha da melhor revista científica para publicar o seu artigo, responda à essas perguntas:

1. Quais revistas publicam artigos sobre o mesmo tema ou sobre temas correlatos?

Esta é a pergunta mais importante. Não adianta submeter um artigo para revistas que não tratam de temas da sua área — E muitas vezes as diferenças não são tão óbvias, você deve ser capaz de notar diferenças entre revistas sobre um mesmo tema.

Você só conseguirá responder essa pergunta corretamente se for um ávido leitor de literatura científica e, além disso, tiver o costume de associar artigos e revistas. Atualmente, é necessário fazer buscas bibliográficas em índices online (Web of Science, Scopus, SciELO, Google Scholar, entre outros), através das quais é possível encontrar artigos relacionados ao seu. Também é interessante ficar atento aos alertas das revistas científicas nas redes sociais, por exemplo.

Assim, você irá reconhecer as preferências de cada cada revista por determinados assuntos e abordagens; há diferenças de escopo mesmo entre as revistas mais gerais de cada área de conhecimento.

2. Dentre as revistas que têm a ver com o meu artigo, de quais eu gosto mais?

Este é o critério mais subjetivo. Ninguém escolhe as revistas apenas com base em critérios objetivos ou quantitativos — No entanto, é recomendável gostar da revista à qual irá submeter seu artigo!

Assim, é possível mensurar o quanto os trabalhos que ela publica tem ajudado nas suas descobertas, no seu tema de interesse, entre outras informações. Geralmente, estudantes/pesquisadores costumam publicar seus artigos em revistas que admiram, independente de estarem na moda ou no topo dos rankings das descobertas mais recentes.

3. Qual é a reputação de cada revista?

Leia muito e converse com seus colegas. Com um pouco de experiência na área, você perceberá quais revistas são consideradas melhores ou piores pelos seus pares, com base em critérios melhores do que o fator de impacto — Considere também a sua opinião: Em quais revistas são publicados artigos que despertam o seu interesse?

4. Qual é o rigor de cada uma dessas revistas que passaram pelos três primeiros filtros?

Com o aumento do número de submissões de artigos, muito maior do que as revistas são capazes de processar (e publicar!); os editores tornaram-se muito mais rigorosos. Dessa forma, considere o nível de rigor de cada revista na hora de enviar seus artigos, para não perder tempo à toa.

5. Quais dessas revistas são pagas e quais são gratuitas?

Se você estuda em uma universidade pública que banca as publicações, pule para a próxima dica. Se não for o seu caso, é melhor consultar a sua conta bancária — Pois em algumas revistas, o autor precisa pagar pela publicação de seus trabalhos.

Atualmente, a maior parte das revistas científicas estão sob o poder de editores internacionais que cobram caro pela publicação de artigos — E na maioria das vezes, também cobram dos leitores! Por outro lado, há também revistas comerciais que cobram do autor, mas não cobram dos leitores; mas cobram igualmente caro para a publicação.

Contudo, algumas revistas — principalmente de acesso livre — costumam dar descontos para estudantes/pesquisadores de países subdesenvolvidos. O Brasil costuma se enquadrar nessa categoria, porque a maioria das instituições de ensino do país não destinam recursos para publicações.

6. Depois de todas essas peneiras sucessivas, qual é o fator de impacto das revistas que sobraram?

Além de todos os critérios anteriores, é preciso levar em consideração o fator de impacto. Programas de pós-graduação, agências de fomento, universidades, centros de pesquisa e outras instituições acadêmicas brasileiras usam o fator de impacto, na verdade uma métrica da revista, para avaliar a qualidade individual de cada estudante.

Essas instituições fazem suas avaliações baseadas no Índice Qualis da CAPES, que por sua vez é parcialmente baseado no fator de impacto medido pelo Journal Citation Reports. Assim, se você for um aluno de pós-graduação brasileiro, deverá ter pelo menos um ou dois artigos na categoria Qualis B1, e de preferência A2 ou A1, se desejar concorrer a uma bolsa de pós-doutorado, ou, a um emprego temporário ou permanente como professor universitário/pesquisador.

7. Conselhor Finais

Nada ajuda mais a escolher a revista científica do que ler bastante — E ouvir os conselhos dos seus pares. Por fim, não se frustre caso o seu artigo seja rejeitado na primeira tentativa, por mais que você tenha caprichado na pesquisa, na redação de seu artigo e na escolha da revista.

Lembre-se: O mundo científico anda muito competitivo e a publicação de trabalhos pode ser demorada; é normal ter que submeter um mesmo artigo a três ou mais revistas antes de conseguir que ele seja aceito.

Ver a "Parte 1" deste post, aqui.


Viu como é fácil definir a revista para o seu artigo? Se precisar de ajuda com seu artigo, solicite nosso apoio acadêmico.

Artigo — Apoio Acadêmico

* Adaptado de Sobrevivendo na Ciência