Central de Atendimento 24h: (11) 4063-9653.

Central de Atendimento

O que é uma teoria e como elaborar a sua?

31 de julho de 2015

Precisa redigir uma teoria e não sabe muito bem o que é e como fazer uma? Calma, isso é normal! Elaborar uma teoria é um passo importante na hora de desenvolver trabalhos científicos/acadêmicos. A seguir, confira nossas dicas.


Primeiramente, é errado se preocupar apenas em pesquisar uma grande quantidade de dados, sem nunca extrair o significado maior deles (a teoria). São as teorias que dão sentido às informações que acumulamos sobre os mais diferentes assuntos. Portanto, é fundamental para qualquer estudante saber o que são teorias e como usá-las no seu trabalho..

Teoria — Como elaborar?

Primeiro, é importante distinguir teoria no sentido popular e científico. No popular, chama-se de teoria qualquer ideia para a qual não se tem evidências concretas. Muitas vezes a palavra teoria é usada com uma conotação negativa para se referir a especulações. Quando se diz teoria com uma conotação positiva, o conceito popular tem mais a ver com o conceito científico de hipótese. Contudo, academicamente, teoria é algo muito mais amplo.

Uma teoria científica é um conjunto de conhecimentos relacionados a um determinado tema. A estrutura de uma teoria é formada pelos seguintes elementos principais: evidências, postulados, perguntas, hipóteses, previsões, teses, regras e leis. A seguir, veja os detalhes e o que cada uma significa.

1. Evidência

As evidências (também conhecida como dados) são os fatos concretos que observamos. Quando se estuda fenômenos complexos, geralmente é necessário juntar várias observações e cruzá-las com uma série de interpretações diferentes, sucessivamente e sob várias condições, até que se alcance um entendimento satisfatório do fenômeno de interesse — Os dados são fundamentais em uma teoria, pois permitem que se constraste ideias abstratas com a realidade, a fim de testar seu poder explicativo e preditivo.

2. Postulado

Partindo para o lado mais abstrato, um postulado (também chamado de axioma) é a parte principal de qualquer teoria. Trata-se de uma ideia central, bem ampla, no formato de hipótese, que visa explicar um determinado fenômeno.

Além disso, um postulado não é testado diretamente. Deve-se presumir que o postulado é verdadeiro e, assim, deriva-se perguntas e hipóteses a partir dele. A partir das hipóteses derivam-se previsões, que são de fato testadas — Se a maioria das hipóteses derivadas de um postulado forem rejeitadas, o postulado deve ser reformulado ou a teoria cairá em desuso.

3. Pergunta

Por sua vez, a pergunta é uma curiosidade relacionada a um determinado aspecto do tema de interesse. Na primeira parte da pergunta, deve-se presumir que o postulado é verdadeiro e, então, deriva-se uma curiosidade válida.

4. Hipótese

Uma hipótese é uma possível resposta para a pergunta proposta — Quanto mais complexo for o tema da pergunta, mais hipóteses alternativas podem ser levantadas a partir dela.

5. Previsão

Uma previsão é um fato concreto que se espera observar, caso a hipótese em questão seja mesmo uma boa resposta à pergunta proposta. As previsões são testadas através da comparação com as evidências, que são os fatos concretos registrados através de observação, experimentação ou simulação. Os fatos são imutáveis; as interpretações sobre eles (hipóteses) é que são provisórias.

6. Tese

Quando uma hipótese é testada exaustivamente e a maioria das previsões derivadas dela se confirmam (ou todas), pode-se dizer que a hipótese virou uma tese, pois tem poder explicativo comprovado. A tese passa a ser aceita como uma resposta à pergunta proposta, até que se prove o contrário — Teses relativamente fracas podem até ser abandonadas por completo, depois de muitas previsões não serem confirmadas.

7. Regra

Caso uma tese continue se mantendo válida após vários testes, sendo capaz de explicar a maioria dos casos observados, ela passa a ser chamada de regra  Também pode-se chamar de regra um fato que se repete com muita frequência.

8. Lei

Uma regra que praticamente não tem exceções pode vir a ser chamada de lei. Leis são mais fáceis de serem descobertas nas ciências que lidam com sistemas mais elementares, como a Física e a Química, do que nas ciências que lidam com sistemas altamente complexos, como a Biologia e a Psicologia.

Como devem ser elaboradas as teorias?

Para elaborar uma teoria, é preciso trabalhar dentro um contexto específico para entender o sentido dos fatos que observamos na natureza. Trabalhos descritivos, ou seja, sem hipóteses, também têm sua importância, porque ajudam a formar a estrutura de evidências empíricas que podem ser usadas para examinar a veracidade das teorias. Porém, a importância das descrições é secundária, já que são outras pessoas que escrevem esses trabalhos, que precisam tentar entender seu sentido.

Os autores tentam extrair um sentido maior dos fenômenos que observam, fazendo generalizações e abstrações; enquanto os autores de trabalhos descritivos visam testar essas ideias, contrastando previsões e evidências. Quando os fatos contradizem as previsões, frequentemente, é hora de mudar de hipóteses, ou o postulado, e ajustar a teoria — Por isso, a teoria e a prática se retroalimentam.

Teorias fracas, ou seja, mal estruturadas logicamente ou cujas previsões nunca se confirmam, acabam sendo descartadas com o tempo. Já as teorias fortes, que conseguem explicar uma boa parte dos casos estudados vão sendo apenas aperfeiçoadas com o tempo.


Agora, você já sabe o que é uma teoria. Se precisar de ajuda com seus trabalhos, solicite nosso apoio acadêmico.

Apoio Acadêmico